A Não-Revolução

Egrégoras

por Dragão do Leste

Egrégora, do grego egregoroi, é o conjunto de formas-pensamento de duas ou mais pessoas, voltadas para algum propósito. Todo grupamento humano possui uma, seja ele uma ordem iniciática, uma empresa, um clube, uma família, ou mesmo um time de futebol.

Forma-pensamento é a densificação da matéria mental. Uma imagem criada, ou moldada, pelo espírito, com a matéria sutil do plano psíquico superior (parte superior do plano astral). Esta imagem suscita vibrações de som e de cor que mergulham nas regiões psíquicas inferiores atraindo um elemental compatível com sua freqüência vibratória.

A duração e a capacidade de agir da forma-pensamento animada por um elemental depende de 2 fatores: a intensidade inicial de energia (mental e emocional) que o seu criador humano lhe confere, e o alimento posterior ministrado, através da repetição.

Esses elementais têm vida própria, e agem independentes de quem o gerou. É por isso que certos desejos são atendidos causando prejuízos em outras áreas da vida: as formas-pensamento ignoraram as conseqüências. É necessário cuidado com o que se deseja.

Após agir, ou serem dissolvidos, as formas-pensamento voltam – pois estão ligadas – ao subconsciente daquele que os gerou, para emergir no consciente através da memória, e incitarem uma nova reprodução. Com a repetição, elas criam um verdadeiro constructo psíquico, pois atraem elementais semelhantes aos próprios. Assim nascem os hábitos, sejam benéficos, sejam maléficos.

O hábito (constructo psíquico), por um lado, facilita a intenção na linha de ação dele, porém dificulta na direção oposta. Uma pessoa que tenha passado anos acreditando em algo (ideologia, filosofia, etc.), mesmo que descubra estar errado, tem dificuldade em compreender e praticar outros sistemas de pensamento, simplesmente por conta dos elementais que a forçam em uma direção. Essa restrição de atuação, por si só, já é um mecanismo kármico.

Esses constructos, quando construídos por uma associação de várias pessoas, constituem as chamadas egrégoras. Como já foi dito anteriormente, os elementais se atraem, e por conseqüência, as pessoas que os geraram também. Pessoas próximas, pertencentes a um grupo por nascimento (famílias, cidades, nações, etc.) ou por vontade posterior (clubes, partidos políticos, religiões, etc.), constroem agregados de formas-pensamentos devido à semelhança de opiniões, que impregnam a atmosfera astral com a sua vibração. Esses agregados, ou melhor, essas egrégoras, fazem vibrar os corpos de desejos das pessoas que a elas pertencem, ou seja, provocam desejos, estimulam idéias… E o mecanismo de karma citado acima funciona para os membros do grupo da mesma forma. É assim que se processa o karma grupal.

Para pertencer a uma egrégora, basta pensar de forma semelhante ao grupo, principalmente nas “inconscientes”, aquelas às quais se pertence sem perceber. Até mesmo assistir um programa de televisão ou ler um livro é pertencer a uma egrégora. Já as religiões, e os grupos iniciáticos que conhecem o funcionamento das egrégoras, sempre possuem rituais de iniciação, para marcar os seus indivíduos participantes, e excluir os não-participantes.

Embora as egrégoras nos influenciem através do corpo astral, e até mesmo afetem eventos físicos, elas nunca podem interferir nos planos superiores a elas, a partir do plano mental. Então, para tornar-nos menos suscetíveis a realizar algo que nos prejudique – por exemplo, desperdiçar dinheiro através do consumismo estimulado pela televisão – deve-se recorrer à Vontade. Por isso, nos graus mais básicos de ordens iniciáticas sérias, sempre se ensina a auto-análise, justamente para percebermos as influências perniciosas externas de egrégoras ou pessoas, e evitá-las.

Apesar de termos falado apenas das desvantagens, há várias vantagens de pertencer conscientemente a egrégoras (especialmente as de ordens iniciáticas). Elas são reservatórios de energia e de informações, além de auto-estradas para comunicação telepática entre os seus membros. Elas permitem que os membros dividam seus fardos kármicos, e podem até realizar pequenos milagres, como curas físicas.

Nessas egrégoras, é importante a correta abertura e fechamento – rituais que possibilitam às forças astrais agirem, e depois interrompe sua ação, para uso posterior – de modo que o indivíduo possa acessar o poderoso manancial de energia da egrégora e depois voltar às suas atividades cotidianas sem prejuízo da sua concentração e da sua sanidade. Um exemplo de pessoas que não sabem fechar egrégoras são torcedores de futebol que vivem em função dos seus times. Só falam sobre o time, vivem o tempo todo rodeado pelos símbolos dele, chegam inclusive a matar e a morrer em brigas de torcidas. Esse e qualquer outra forma de fanatismo constituem a dominação de uma pessoa por uma egrégora, seja ela qual for.

Aprendendo a trabalhar com as egrégoras, o homem (ou a mulher) ganha uma valiosa ferramenta, tanto para a melhoria da sua qualidade de vida imediata, quando para a sua evolução espiritual.

Comentário posterior por Lobo do Leste:

Eu faria aguns pequenos adendos…

Um deles é quanto a “direção” da egregora.

Não só elementais, como tambem “Divindades” podem assumir a presidencia dessa nuvem de pensamentos aglomerados, vestindo a egregora, como um manto sagrado.

A outra é a questão do fanatismo…

Algumas egregoras criadas expontaneamente e sem um “Condutor” responsavel, produzem em seus membros uma estranha deturpação da individualidade. fazendo assim com q a pessoa viva a egregora.. personifique todas as formas de pensamento inerentes dessa egregora em questão. Eis o Fanatismo.. eis o motivo do fanatismo, seja ele religioso, seja ele ideologico…

Link original à Sombra do Carvalho.

janeiro 28, 2009 Posted by | Egrégoras, Ocultismo, Poder da Mente, Sophia Recomenda | 2 Comentários

Nova Era: o que ela é e o que ela não é

É comum eu ver na internet a expressão “Nova Era” associada a uma série de besteiras, confusões, generalizações, e misturebas. Escrevo esse artigo tanto para desmistificar algumas concepções distorcidas, quanto para rir um pouco do preconceito alheio. Como a enrolação que fizeram foi excelente, tive que organizar por tópicos. Lá vai:

A Nova Era é um movimento organizado pelo Diabo

Pra começar, a Nova Era não é um movimento, não é organizada, e nem tem Diabo no meio. O conceito da nova era vem da Astrologia. Mais ou menos a cada 2000 anos, o Sol muda o signo no qual ele nasce durante o Equinócio da Primavera. Atualmente ele nasce no signo de Peixes, e de acordo com vários astrólogos, só passará a nascer no signo de Aquário por volta de 2600. Claro que não é um processo mecânico, mesmo estando alguns séculos antes dessa transição, já estamos “descendo a ladeira” da Era de Peixes. Nova Era é simplesmente isso, a transição da Era de Peixes para a Era de Aquário, e as conseqüências que isso trás para a humanidade.

A Nova Era combate o Cristianismo

Na verdade, o Cristianismo é que combate o bem-estar da humanidade. Não há uma intenção deliberada de acabar com ele, mas sim, um movimento de despertar, natural e espontâneo, que está fazendo as pessoas perceberem as lorotas contadas pelo Vaticano.

A Nova Era é a religião da Nova Ordem Mundial

Já começou a mistura. Nova Ordem Mundial é um assunto que merece um artigo só sobre ele, mas para constar, ele tem relação com a dominação tecnológica, econômica e espiritual das pessoas por parte de um governo único e secreto. Totalmente contrário com o espírito da Nova Era, que é de liberdade, conhecimento e poder para todos. Quem de fato trabalha, e sempre trabalhou para o domínio das massas é o Cristianismo. Basta estudar um pouco de História para perceber isso.

A Nova Era mistura o bem e o mal, unindo todas as religiões em sincretismo

Todas as religiões tem algo de útil a ensinar. Deus não foi patenteado por nenhuma delas, e vamos ser coerentes, se o mundo tem tanta diversidade cultural, porque Ele só mandaria um mensageiro? As religiões orientais mencionam a vinda de vários e vários avatares com mensagens diferentes, para atender às necessidades de diversos povos ao passar do tempo. E agora que podemos estudar seus ensinamentos sem ir para a fogueira, podemos achar várias semelhanças entre eles.

A Nova Era quer igualar os homens a Deus, como tentou Lúcifer

O homem sempre foi Deus, o Cristianismo é que tenta torná-lo menos digno, através do rótulo de “pecador”, e da necessidade artificial de “salvação”. Não existe pecado, nem a necessidade de salvar-se de nada, simples assim, e ninguém está fazendo nenhum esforço para ensinar isso às pessoas – elas estão descobrindo por si sós.

A Nova Era prega a adoração de Gnomos, fadas, ETs e anjos

Essa parte eu reconheço a dificuldade natural de entender. Com tanta esquisoterice por aí, eu mesmo não sei o que é o quê. Mas sei de uma coisa, que é clara e óbvia para qualquer místico, ocultista ou esoterista de qualquer religião (séria): Deus é um só, apesar de seus muitos intermediários.

A Nova Era prega o uso de estados alterados de consciência para enfeitiçar as pessoas

Estados alterados de consciência são usados indiscriminadamente por aí. Militares usam para doutrinar seus soldados, a televisão para estimular comportamentos e igrejas para arrebanhar fiéis. Posteriormente eu vou fazer um post só sobre isso. Em todo caso, é realmente necessário prestar atenção em grupos que trabalham com transe e meditação. Porque você acha que o dízimo só é cobrado depois de muita gritaria na igreja?

A Nova Era prega o relativismo moral

Essa foi a maior besteira que já li. Apesar de realmente existirem pessoas que usam o esoterismo como meio de fazer sacanagem, não se prega nenhum relativismo moral, mas sim, o espírito de liberdade e tolerância. O que está surgindo naturalmente é uma consciência adulta, que consegue transcender a visão maniqueísta de “isso é de Deus, aquilo é do Diabo”.

Agora que já falei tudo que ela não é, vou definir o que ela é: uma mudança de paradigma provocada pelo movimento dos astros no Cosmos. Essa mudança tem múltiplas facetas, mas de forma alguma é um movimento organizado, centralizado, ou intencional: simplesmente acontece, independente das pessoas que tentam desacreditá-la ou distorcê-la.

PS.: Amanda, não deu pra escrever pouco, esse ficou grande mesmo rssssssss

novembro 16, 2008 Posted by | Astrologia, Nova Era, Ocultismo, Religião | 7 Comentários

O que é o Ocultismo?


T.Subba Row, O Mundo, Janeiro 1905

Tirado do site Morte Súbita

Não há diferença entre o antigo e o moderno ocultismo. Até onde sei, todo verdadeiro “ocultismo” está fundamentado nos mesmos princípios, embora os termos em que eles foram expressos tenham variado em diferentes idades.

Por ocultismo entendo a ciência, ou melhor dizendo, a sabedoria que dá uma explicação verdadeira e exata do trabalho das leis da natureza, assim como sua aplicação , em todo o universo.

Posto que toda verdade é una, seus ensinos devem necessariamente estar de acordo com todos os fatos provados da ciência, quer seja antiga ou moderna. Até mais, ela deve explicar todos os fatos da história, ou as leis que governam as relações entre os homens, todas as mitologias, e as relações com que o homem se encontra com respeito ao universo.

É, de fato, a ciência da origem, o destino, os poderes do universo e todas as coisas que ele inclui.

O ponto discordante entre ocultismo e ciência moderna é que o primeiro trabalha para usar as forças e materiais da natureza em sua condição natural enquanto o ultimo usa estes em sua condição separada e limitada nos planos inferiores da manifestação.

[Se bem que quando os cientistas param de ver o ocultismo com má vontade, este se transforma em ciência. A UnB comprovou a veracidade da Astrologia (clique aqui pra ler sobre isso)]

Por exemplo o ocultista usa uma força invisível da mesma natureza quando quer produzir correntes de calor, eletricidade, e outros semelhantes, como elementos em sua forma mas alta e espiritual enquanto que o cientista é obrigado a usar materiais como a luz , água, etc. e primeiro deve desintegrá-los em seus componentes básicos, como eles se encontram no plano material inferior, para levar a cabo seus experimentos.

O ocultista observa a natureza como uma unidade , e atribui toda diversidade ao fato de que esta unidade compõe-se por manifestações nos diferentes planos, percepção de cujos planos depende do desenvolvimento do observador.

[Esta é a causa da imensa diversidade das religiões e seitas: além da diversidade cultural, existe uma dificuldade de explicar a própria experiência espiritual, e de entender a dos outros. Por isso uns falam em anjos, outros em devas, outros em orixás, etc. E se já é difícil de entender naturalmente, imagina com essa salada mística esquisotérica que fazem por aí… Fora o charlatanismo.]

Acredita que a única lei que se estende a todas as coisas é o desenvolvimento por evolução, a um grau quase infinito, até a fonte original de toda evolução – O Logos Divino: Daí que o homem, tal como lhe conhecemos é capaz de um desenvolvimento quase infinito.

O também acredita na absoluta unidade original de todas as formas e modos de existência, e que todas as formas de matérias são intercambiáveis , assim como o gelo pode converter-se em água e vice-versa. Ao olhar a idéia dos milagres, sua idéia é que os homens excepcionais podem obter faculdades adicionais de percepção e ação e ser capazes de controlar os elementos…

Acreditando que a natureza e suas leis são unas, o ocultista sabe que toda ação contrária as suas leis encontra força opostas e será destruída, e assim o homem desenvolvido deve , se deseja obter a divindade, converter-se em um cooperador da natureza. Isto deve fazê-lo treinando-se a si mesmo de acordo com a natureza. Esta conformidade com a natureza o conduz a atuar com benevolência para obter sem desviar o mas alto bem, porque o que se chama bem não é mais que a ação de acordo com a Lei Una. O ocultismo não dá uma afirmação racional da conduta correta como nenhum outro sistema, porque o converte à moral em uma lei cósmica, em vez de apoiá-la em uma superstição. Ainda mais, a realização da unidade da natureza conduz o ocultista a compreender que a unidade da vida que subjaz a tudo esta trabalhando também dentro de si mesmo e o esta conduzindo a encontrar na consciência não meramente um critério do correto e o incorreto, mas sim o germe de uma faculdade superior, uma luz que o guia em seu caminho, enquanto que na vontade o encontra força capaz de indefinido incremento e expansão.

Todas as mitologias são representações pictóricas das leis e forças da natureza , como os credos não são nada mais que as expressões parciais das leis universais, através do estudo intuitivo das mas antigas que estão em poder do conhecimento oculto. Este conhecimento em sua pureza foi transmitido desde tempos imemoriais de mestre a discípulo e cuidadosamente conservado de seu abuso recusando-o a compartilhá-lo até que o candidato haja realmente provado ser incapaz de usá-lo incorretamente porque é óbvio que nas mãos de uma pessoa ignorante e mau disposta seu uso pode trazer um enorme dano.

Os experimentos atuais de leitura do pensamento, psicometria, clarividência, mesmerismo, etc…mostraram que existem boas razões para acreditar que existem poderes ocultos e faculdades latentes no homem.

As “maravilhas” do ocultismo são o resultado de uma cultivação científica e o fruto do perfeito controle sobre estes poderes.

Esta sabedoria secreta é o fundamento de todas as antigas religiões e filosofias, quer sejam Indianas, Egípcias, Caldeias, Zoroástricas, Gregas, etc. Seus rastros se encontram em todas as idades e países, não há engano mas grande que se supor que sua realidade depende de uma só autoridade . Seus iniciados e adeptos formam uma sucessão ininterrupta da mais antiga aparição do homem neste planeta, sua organização é hoje como era virtualmente há milhares de anos, e como será dentro de milhares de anos. No momento atual esta vibrando mas na mente das pessoas e muitos então acreditam que é uma coisa nova. Não é assim. Assim como em alguns momentos do ano a luz do dia tem maior duração que em outros assim mesmo a luz divina da sabedoria em alguns ciclos é mas abertamente difundida que em outros.

Para aqueles que tenham olhos para ver, uma luz mas brilhante surgiu , mas ela não deixará de brilhar porque poucos lhe prestam atenção e muitos inclusive a desprezam, enquanto outros a mal representem e tratem de persuadirem-se a si mesmos e a outros que não há senão trevas sobre todos.

novembro 6, 2008 Posted by | Ocultismo | 3 Comentários