A Não-Revolução

Alex Grey: o Corpo e o Espírito


Nascido em Columbus, Ohio (Estados Unidos), em 29 de novembro de 1956, Alex Grey foi incentivado pelo pai, designer gráfico, a desenvolver a habilidade de desenhar, o que acabou levando-o a estudar no Columbus College of Art and Design por 2 anos (1971-73), e posteriormente, no Boston Museum School por um ano. Desenvolveu uma arte ligada à vida, à morte e à transcendência, temas que o fascinaram desde a infância, e tem como característica marcante o detalhismo do corpo humano, fruto do trabalho em anatômicos, que dá o efeito tanto espiritual quanto orgânico dos seus quadros.

Uma pequena amostra de sua obra:





Para ver mais, acesse o site do artista clicando AQUI

PS.: viu moça, ficou curto!

Anúncios

novembro 24, 2008 Posted by | Arte, Pintura | 3 Comentários

Nova Era: o que ela é e o que ela não é

É comum eu ver na internet a expressão “Nova Era” associada a uma série de besteiras, confusões, generalizações, e misturebas. Escrevo esse artigo tanto para desmistificar algumas concepções distorcidas, quanto para rir um pouco do preconceito alheio. Como a enrolação que fizeram foi excelente, tive que organizar por tópicos. Lá vai:

A Nova Era é um movimento organizado pelo Diabo

Pra começar, a Nova Era não é um movimento, não é organizada, e nem tem Diabo no meio. O conceito da nova era vem da Astrologia. Mais ou menos a cada 2000 anos, o Sol muda o signo no qual ele nasce durante o Equinócio da Primavera. Atualmente ele nasce no signo de Peixes, e de acordo com vários astrólogos, só passará a nascer no signo de Aquário por volta de 2600. Claro que não é um processo mecânico, mesmo estando alguns séculos antes dessa transição, já estamos “descendo a ladeira” da Era de Peixes. Nova Era é simplesmente isso, a transição da Era de Peixes para a Era de Aquário, e as conseqüências que isso trás para a humanidade.

A Nova Era combate o Cristianismo

Na verdade, o Cristianismo é que combate o bem-estar da humanidade. Não há uma intenção deliberada de acabar com ele, mas sim, um movimento de despertar, natural e espontâneo, que está fazendo as pessoas perceberem as lorotas contadas pelo Vaticano.

A Nova Era é a religião da Nova Ordem Mundial

Já começou a mistura. Nova Ordem Mundial é um assunto que merece um artigo só sobre ele, mas para constar, ele tem relação com a dominação tecnológica, econômica e espiritual das pessoas por parte de um governo único e secreto. Totalmente contrário com o espírito da Nova Era, que é de liberdade, conhecimento e poder para todos. Quem de fato trabalha, e sempre trabalhou para o domínio das massas é o Cristianismo. Basta estudar um pouco de História para perceber isso.

A Nova Era mistura o bem e o mal, unindo todas as religiões em sincretismo

Todas as religiões tem algo de útil a ensinar. Deus não foi patenteado por nenhuma delas, e vamos ser coerentes, se o mundo tem tanta diversidade cultural, porque Ele só mandaria um mensageiro? As religiões orientais mencionam a vinda de vários e vários avatares com mensagens diferentes, para atender às necessidades de diversos povos ao passar do tempo. E agora que podemos estudar seus ensinamentos sem ir para a fogueira, podemos achar várias semelhanças entre eles.

A Nova Era quer igualar os homens a Deus, como tentou Lúcifer

O homem sempre foi Deus, o Cristianismo é que tenta torná-lo menos digno, através do rótulo de “pecador”, e da necessidade artificial de “salvação”. Não existe pecado, nem a necessidade de salvar-se de nada, simples assim, e ninguém está fazendo nenhum esforço para ensinar isso às pessoas – elas estão descobrindo por si sós.

A Nova Era prega a adoração de Gnomos, fadas, ETs e anjos

Essa parte eu reconheço a dificuldade natural de entender. Com tanta esquisoterice por aí, eu mesmo não sei o que é o quê. Mas sei de uma coisa, que é clara e óbvia para qualquer místico, ocultista ou esoterista de qualquer religião (séria): Deus é um só, apesar de seus muitos intermediários.

A Nova Era prega o uso de estados alterados de consciência para enfeitiçar as pessoas

Estados alterados de consciência são usados indiscriminadamente por aí. Militares usam para doutrinar seus soldados, a televisão para estimular comportamentos e igrejas para arrebanhar fiéis. Posteriormente eu vou fazer um post só sobre isso. Em todo caso, é realmente necessário prestar atenção em grupos que trabalham com transe e meditação. Porque você acha que o dízimo só é cobrado depois de muita gritaria na igreja?

A Nova Era prega o relativismo moral

Essa foi a maior besteira que já li. Apesar de realmente existirem pessoas que usam o esoterismo como meio de fazer sacanagem, não se prega nenhum relativismo moral, mas sim, o espírito de liberdade e tolerância. O que está surgindo naturalmente é uma consciência adulta, que consegue transcender a visão maniqueísta de “isso é de Deus, aquilo é do Diabo”.

Agora que já falei tudo que ela não é, vou definir o que ela é: uma mudança de paradigma provocada pelo movimento dos astros no Cosmos. Essa mudança tem múltiplas facetas, mas de forma alguma é um movimento organizado, centralizado, ou intencional: simplesmente acontece, independente das pessoas que tentam desacreditá-la ou distorcê-la.

PS.: Amanda, não deu pra escrever pouco, esse ficou grande mesmo rssssssss

novembro 16, 2008 Posted by | Astrologia, Nova Era, Ocultismo, Religião | 7 Comentários

Infeliz Realidade


Como ando muito atarefado ultimamente, não tem dado tempo de atualizar o blog… Resolvi, para não deixar a casa às moscas, colocar essa imagem, que mostra a triste realidade do nosso país, ou pelo menos da cidade do Rio de Janeiro. Claro que a falta de controle de natalidade não é culpa só da Igreja, mas também do Estado, que não dá uma educação decente. Todo mundo sabe que população instruída não sai botando filho no mundo a torto a direito, pra depois acabar preso ou morto.
Fica aí o meu protesto, quando o tempo folgar, continuamos com a programação normal. Obrigado ao Gustavo pela imagem, valeu!

novembro 14, 2008 Posted by | Bobeira, Política/Economia, Religião, Violência | 5 Comentários

O que é o Ocultismo?


T.Subba Row, O Mundo, Janeiro 1905

Tirado do site Morte Súbita

Não há diferença entre o antigo e o moderno ocultismo. Até onde sei, todo verdadeiro “ocultismo” está fundamentado nos mesmos princípios, embora os termos em que eles foram expressos tenham variado em diferentes idades.

Por ocultismo entendo a ciência, ou melhor dizendo, a sabedoria que dá uma explicação verdadeira e exata do trabalho das leis da natureza, assim como sua aplicação , em todo o universo.

Posto que toda verdade é una, seus ensinos devem necessariamente estar de acordo com todos os fatos provados da ciência, quer seja antiga ou moderna. Até mais, ela deve explicar todos os fatos da história, ou as leis que governam as relações entre os homens, todas as mitologias, e as relações com que o homem se encontra com respeito ao universo.

É, de fato, a ciência da origem, o destino, os poderes do universo e todas as coisas que ele inclui.

O ponto discordante entre ocultismo e ciência moderna é que o primeiro trabalha para usar as forças e materiais da natureza em sua condição natural enquanto o ultimo usa estes em sua condição separada e limitada nos planos inferiores da manifestação.

[Se bem que quando os cientistas param de ver o ocultismo com má vontade, este se transforma em ciência. A UnB comprovou a veracidade da Astrologia (clique aqui pra ler sobre isso)]

Por exemplo o ocultista usa uma força invisível da mesma natureza quando quer produzir correntes de calor, eletricidade, e outros semelhantes, como elementos em sua forma mas alta e espiritual enquanto que o cientista é obrigado a usar materiais como a luz , água, etc. e primeiro deve desintegrá-los em seus componentes básicos, como eles se encontram no plano material inferior, para levar a cabo seus experimentos.

O ocultista observa a natureza como uma unidade , e atribui toda diversidade ao fato de que esta unidade compõe-se por manifestações nos diferentes planos, percepção de cujos planos depende do desenvolvimento do observador.

[Esta é a causa da imensa diversidade das religiões e seitas: além da diversidade cultural, existe uma dificuldade de explicar a própria experiência espiritual, e de entender a dos outros. Por isso uns falam em anjos, outros em devas, outros em orixás, etc. E se já é difícil de entender naturalmente, imagina com essa salada mística esquisotérica que fazem por aí… Fora o charlatanismo.]

Acredita que a única lei que se estende a todas as coisas é o desenvolvimento por evolução, a um grau quase infinito, até a fonte original de toda evolução – O Logos Divino: Daí que o homem, tal como lhe conhecemos é capaz de um desenvolvimento quase infinito.

O também acredita na absoluta unidade original de todas as formas e modos de existência, e que todas as formas de matérias são intercambiáveis , assim como o gelo pode converter-se em água e vice-versa. Ao olhar a idéia dos milagres, sua idéia é que os homens excepcionais podem obter faculdades adicionais de percepção e ação e ser capazes de controlar os elementos…

Acreditando que a natureza e suas leis são unas, o ocultista sabe que toda ação contrária as suas leis encontra força opostas e será destruída, e assim o homem desenvolvido deve , se deseja obter a divindade, converter-se em um cooperador da natureza. Isto deve fazê-lo treinando-se a si mesmo de acordo com a natureza. Esta conformidade com a natureza o conduz a atuar com benevolência para obter sem desviar o mas alto bem, porque o que se chama bem não é mais que a ação de acordo com a Lei Una. O ocultismo não dá uma afirmação racional da conduta correta como nenhum outro sistema, porque o converte à moral em uma lei cósmica, em vez de apoiá-la em uma superstição. Ainda mais, a realização da unidade da natureza conduz o ocultista a compreender que a unidade da vida que subjaz a tudo esta trabalhando também dentro de si mesmo e o esta conduzindo a encontrar na consciência não meramente um critério do correto e o incorreto, mas sim o germe de uma faculdade superior, uma luz que o guia em seu caminho, enquanto que na vontade o encontra força capaz de indefinido incremento e expansão.

Todas as mitologias são representações pictóricas das leis e forças da natureza , como os credos não são nada mais que as expressões parciais das leis universais, através do estudo intuitivo das mas antigas que estão em poder do conhecimento oculto. Este conhecimento em sua pureza foi transmitido desde tempos imemoriais de mestre a discípulo e cuidadosamente conservado de seu abuso recusando-o a compartilhá-lo até que o candidato haja realmente provado ser incapaz de usá-lo incorretamente porque é óbvio que nas mãos de uma pessoa ignorante e mau disposta seu uso pode trazer um enorme dano.

Os experimentos atuais de leitura do pensamento, psicometria, clarividência, mesmerismo, etc…mostraram que existem boas razões para acreditar que existem poderes ocultos e faculdades latentes no homem.

As “maravilhas” do ocultismo são o resultado de uma cultivação científica e o fruto do perfeito controle sobre estes poderes.

Esta sabedoria secreta é o fundamento de todas as antigas religiões e filosofias, quer sejam Indianas, Egípcias, Caldeias, Zoroástricas, Gregas, etc. Seus rastros se encontram em todas as idades e países, não há engano mas grande que se supor que sua realidade depende de uma só autoridade . Seus iniciados e adeptos formam uma sucessão ininterrupta da mais antiga aparição do homem neste planeta, sua organização é hoje como era virtualmente há milhares de anos, e como será dentro de milhares de anos. No momento atual esta vibrando mas na mente das pessoas e muitos então acreditam que é uma coisa nova. Não é assim. Assim como em alguns momentos do ano a luz do dia tem maior duração que em outros assim mesmo a luz divina da sabedoria em alguns ciclos é mas abertamente difundida que em outros.

Para aqueles que tenham olhos para ver, uma luz mas brilhante surgiu , mas ela não deixará de brilhar porque poucos lhe prestam atenção e muitos inclusive a desprezam, enquanto outros a mal representem e tratem de persuadirem-se a si mesmos e a outros que não há senão trevas sobre todos.

novembro 6, 2008 Posted by | Ocultismo | 3 Comentários

João Hélio, Isabela Nardoni, Eloá: como a histeria em massa cria novas desgraças.


Os ingredientes dessas 3 tragédias todo mundo já conhece. Até porque nenhuma rede de televisão, jornal ou mesmo site da internet nos deixa esquecer. Uma vítima jovem e inocente, um crime brutal e sem motivo, ampla divulgação na mídia e o natural resultado: comoção popular ampla e generalizada.

Antes de mais nada, apesar de minha análise ser fria, não sou insensível a crimes como esses. Pelo contrário, tanto me comovo que não fico assistindo, com uma curiosidade mórbida, ao noticiário da TV, pra saber sobre cada gota de sangue que rolou. Tanto me comovo, que abomino a super-exposição das famílias das vítimas, e o quanto os jornalistas lucram em cima da desgraça alheia. Tanto me comovo que escrevo esse artigo, na esperança de que tais acontecimentos parem de se repetir.

Não vou aqui comentar muito sobre as pessoas que se deleitam com os infortúnios dos outros para dar algum significado a suas vidas medíocres. São os mesmos pobres de espírito que dependem de novelas para ter alguma capacidade de sonhar.

Os perigos da mídia de massa são amplamente conhecidos por aqueles ligados a espiritualidade. Estes sabem que vivemos uma época de transição, uma época em que os segredos da mente e do espírito estão sendo revelados. E uma das “novidades” muito divulgadas hoje em dia é a seguinte verdade:

A mente e as emoções criam a realidade.

Isso mesmo. Explicando a grosso modo, é algo assim: quando você reclama do seu chefe, você automaticamente está atraindo chefes desagradáveis para você. Se esse seu chefe sair, vai vir outro tão ruim quanto. Ou se o próximo for legal, você é quem vai trocar de emprego, para continuar tendo um chefe ruim.

Esse fenômeno de mentalização (também conhecido como “A Lei da Atração”) é amplificado por diversos fatores, dentre eles: quantidade de pessoas envolvidas, intensidade emocional, grau de concentração. Que tal o poder das mentes de milhões de pessoas impactadas por imagens fortes, (aliás, esse é um dos motivos pelos quais não é recomendável assistir televisão), discursos emocionados, comentários dos colegas de trabalho, uma verdadeira ladainha hipnótica?

Sim, isso mesmo. As pessoas que ficam chocadas com esse tipo de tragédia acabam gerando novas iguais. E isso é demonstrado pelas circunstâncias análogas dos 3 eventos que citei no começo desse texto.

Não que não devamos cobrar do Poder Executivo e do Judiciário as medidas cabíveis. Agora, ficar parado na porta dos acusados xingando, ou ir ao enterro de uma pessoa que você nem ao menos conheceu pessoalmente, que sentido tem? Não vai resolver nada, só vai enriquecer os donos dos jornais com novas notícias.

Fica então apenas uma recomendação: se você presenciar uma tragédia, não fique assistindo para entreter-se. Só faça parte dela se você puder ajudar, se você puder fazer algo útil de verdade.

Não mentalize aquilo que você realmente não quer que aconteça.

novembro 1, 2008 Posted by | Mídia, Poder da Mente | 1 Comentário